Seu currículo nunca mais vai ser o mesmo, mas ainda não o rasgue!

Padrão

Não levem o título deste artigo ao pé da letra. Não quero mudar o orgulho que cada um tem de seu excelente currículo e apagar suas memórias acadêmicas e profissionais. Mas sim, estamos muito próximos de novas rupturas em mais áreas da sociedade. Se o Airbnb mudou a forma que nos hospedamos, o Spotify a forma que ouvimos música e o Uber como nos transportamos, o meio acadêmico e, principalmente, a forma com que reconhecemos as competências de outros podem também estar mudando.

Com o advento das redes sociais, nosso cotidiano passou a dar muito mais importância à forma como percebemos e somos percebidos na sociedade. Muito mais do que uma vaidade pessoal, um perfil bom ou ruim nas redes sociais pode significar o ganho ou a perda de oportunidades de trabalho. Trazendo esse paradigma para a nova economia de compartilhamento, quantos anfitriões do Airbnb deixaram de receber hóspedes pela falta de comentários sobre a hospedagem no anúncio ou por conta daquele mínimo problema pontual que foi alardeado por um hóspede mal humorado? Por outro lado, quantos apartamentos às vezes mal localizados ou mal conservados conseguiram reverter a situação através da boa hospitalidade de seu anfitrião, que gerou satisfação e bons comentários? O mesmo vale para os motoristas do Uber ou para relacionamentos, com controversos aplicativos que dão nota ressaltando qualidades (ou não) de possíveis pretendentes.

Voltando para o mundo corporativo, algumas empresas, especialmente startups, já dão mais importância às realizações tangíveis de seus potenciais funcionários do que o que está escrito em seu currículo. Um grande amigo, CEO de uma dessas empresas, me explicou que de nada adianta um grande potencial se isso não consegue ser transformado em realidade. Áreas de recursos humanos buscam diariamente identificar atributos intangíveis em candidatos: trabalho em equipe, comunicação, relacionamento, capacidade de pensamento e trabalho sob pressão. Uma hora de dinâmica em grupo seria suficiente para avaliar a habilidade de um profissional em relação à gestão de uma equipe entregando um pequeno projeto, em comparação aos depoimentos de seus liderados em redes sociais sobre sua atuação?image

O mundo acadêmico já está percebendo e se adaptando a essa mudança de paradigma. Iniciativas como a da Universidade de Minerva, entidade que tem um currículo multidisciplinar com foco na formação de líderes, aulasonline e presenciais e muitos projetos de aplicação, buscam inovar um modelo que pouco se transformou nas últimas décadas. Startups, algumas brasileiras, buscam alterar o foco de um vasto currículo acadêmico para a formação de recursos por meio de micro cursos pontuais para uma atuação específica. Dessa forma, a pessoa molda sua própria grade curricular gerando um currículo personalizado e em linha com seus objetivos.

Mesmo grandes e tradicionais instituições de ensino mundial, como Yale, Princeton e Stanford, já fazem movimentos nesse sentido, oferecendo cursos gratuitos e pontuais. Seja qual for a direção da forma de ensino que estivermos olhando, o privilégio é sempre para as atividades práticas, com objetivos claros e resultados sempre apontando para algo que possa ser reutilizado pelo aluno. Isso gera no processo uma rede de relacionamentos e instiga a aplicação de práticas necessárias ao sucesso de qualquer negócio, e é isto que recrutadores estão garimpando na pilha de currículos a sua frente atualmente.

Estamos vivendo uma realidade onde a aplicação prática de um aprendizado, disponibilizado para todo o mundo, gera o registro de reconhecimentos e engrandece o perfil de um candidato de forma muito mais prática do que 200 páginas de um trabalho final guardado na biblioteca da universidade.

Mesmo com todas essas inovações no mundo acadêmico, o currículo sobrevive. Mas em muitos casos nunca mais será da forma que nós o conhecemos, já que o enfoque passa a ser no que realmente foi absorvido pelo indivíduo e em sua capacidade de aplicação, e não somente na indicação do tempo em que ele frequentou as salas de aula de instituições de ensino. Agora é a hora para você buscar novos conhecimentos e experiências, oxigenando e enriquecendo o seu perfil profissional. Novas oportunidades certamente trarão mais habilidades para o seu histórico e assim seu currículo estará mais adequado para os desafios do mundo moderno. Confie em si mesmo e não deixe para amanhã. Como diz o ditado, o tempo é o melhor professor, mas é uma pena que ele mate seus alunos!

Para saber mais

Via IBM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *