Projeto da Microsoft torna possível “remover as nuvens” de imagens de satélite

Padrão

A Microsoft, por meio do Azure Space, fornece um serviço de computação em nuvem dedicado à comunidade espacial.

A empresa revelou recentemente novas parcerias e recursos integrados a este serviço, incluindo aprimoramento de imagem de satélite e recursos de processamento, incluindo a capacidade de enxergar através de uma camada de nuvem.

Com o crescimento desse setor, aumentou a necessidade de uma infraestrutura terrestre de alta capacidade e baixa latência. Neste contexto, a Microsoft propõe um serviço de controle e comunicação por satélite que opera a partir de uma rede de estação terrestre dedicada.

Uma das inovações mais marcantes é o SpaceEye, um sistema baseado em IA que gera imagens ópticas multiespectrais e sem nuvens, atualizadas diariamente para melhor distinguir a superfície do planeta.

Outro aspecto extremamente marcante dessas atualizações é a implantação do Projeto Turing, iniciativa que permite aumentar a resolução das imagens de satélite por meio da sobreposição semântica de imagens, como a Microsoft já vem fazendo com seu serviço de mapas. Este projeto tomou forma graças a uma colaboração com a Airbus, para aumentar a disponibilidade geral de seus dados de imagens de satélite premium. Este sistema, anteriormente implementado através da utilização de hardware específico, passou a ser gerido através de software de virtualização.

Esta é uma área em crescimento e que deve continuar a crescer graças à colaboração com outros agentes de destaque no meio. “Também estamos trabalhando em estreita colaboração com um ecossistema em expansão de parceiros para ajudar a impulsionar a inovação dentro e fora do planeta. Por meio da combinação de recursos de nuvem e espaço, novas fontes de dados estão sendo coletadas, transportadas e analisadas para gerar novos insights e compreender o mundo ao nosso redor ”, disse Tom Keane, vice-presidente corporativo, Azure Global, Microsoft.

Esses novos recursos, introduzidos pela Microsoft por meio de seu Blog do Azure, permitem maneiras poderosas de extrair e aproveitar dados do espaço.